Contornando os limites do Estado do Rio de Janeiro


Local : Limites do Estado do Rio de Janeiro

Evento : 4 dias de viagem contornando os limites do Estado do Rio de Janeiro com o meu amigo Pallas e sua namorada Fernanda.

Data : 07 à 10/10/2011

Total de Kms percorridos : 1.863,8 km
Total de horas nas estradas : 42h30min
Gastos com gasolina: Um pouco mais de R$ 200,00
Gastos com hospedagem: R$ 95,00 (Somente eu)



1º dia - 07/10/11 - 12 hs de viagem
Local de saída : Aeroporto Santos Dumont / RJ
Hora de saída : 06:30 hs
Local de chegada : Campos dos Goytacazez / RJ
Hora de chegada : 18:30 hs
Kms percorridos no dia : 400,3 km
Hospedagem : Hotel Verona - Centro / Campos dos Goytacazes


2º dia - 08/10/11 - 12 hs de viagem
Local de saída : Campos dos Goytacazes / RJ
Hora de saída : 07:30 hs
Local de chegada : Sapucaia / RJ
Hora de chegada : 19:30 hs
Kms percorridos no dia : 596,9 km
Hospedagem : Hotel Ki-Sono - Centro / Sapucaia


3º dia - 09/10/11 - 12 hs de viagem
Local de saída : Sapucaia / RJ
Hora de saída : 06:50 hs
Local da chegada : Angra dos Reis / RJ
Hora de chegada : 06:49 hs
Kms percorridos no dia : 647,5 km
Hospedagem : Casa do Pallas - Monsuaba / Angra dos Reis

4º dia - 10/10/11 - 6h30min de viagem
Local de saída : Angra dos Reis / RJ
Hora de saída : 08:30 hs
Local da chegada : Aeroporto Santos Dumont / RJ
Hora de chegada : 15:00 hs
Kms percorridos no dia : 219,1 km


Cidades pelas quais passamos :

- Rio de Janeiro (Aeroporto até a Ponte Rio-Niterói)
- Niterói
- Maricá
- Saquarema
- Araruama
- Arraial do Cabo
- Cabo Frio
- Búzios
- Casimiro de Abreu (Barra de São João)
- Rio das Ostras
- Macaé
- Conceição de Macabu
- Campos dos Goytacazes
- São João da Barra
- Cardoso Moreira
- Italva
- Bom Jesus de Itabapoana
- Varre e Sai
- Natividade
- Porciúncula
- Itaperuna
- Laje do Muriaé
- Miracema
- Santo Antônio de Pádua
- Aperibé
- Itaocara
- Cantagalo
- Carmo
- Sapucaia
- Três Rios
- Comendador Levy Gasparian
- Paraíba do Sul
- Rio das Flores
- Valença
- Barra do Piraí
- Volta Redonda
- Barra Mansa
- Porto Real
- Resende
- Itatiaia
- Rio Claro
- Angra dos Reis
- Paraty
- Mangaratiba
- Itaguaí
- Rio de Janeiro (Todo o bairros do litoral, desde Santa Cruz até o Aterro do Flamengo)




Não conseguimos completar totalmente o contorno conforme o planejado e ficaram de fora as cidades de Carapebus, Quissamã, São Francisco de Itabapoana e Quatis, mas não levavamos nenhum mapa nem GPS e tão pouco tinhamos horários pré estabelecidos para chegarmos nas cidades, então consideramos a viagem concluída e qualquer dia desses a gente pega estrada de novo só para conhecermos essas cidades que ficaram de fora do roteiro.
Haviamos combinado de não percorrermos estradas de chão, mas em dois trechos da viagem isso foi inevitável, primeiro em Itaocara e depois já em Paraty, em plena BR-101 Rodovia Rio-Santos que está em obras.
O tempo também ajudou bastante e pegamos chuva apenas no final do 3º dia de viagem, mesmo assim pouca chuva, em algums trechos de Rio Claro e Paraty.
As motos se comportaram muito bem e não tivemos quaisquer imprevisto com relação a mecânica e nossa única preocupação foi sempre reabastecer antes de entrar na reserva e a cada 500 km aplicarmos Repsol Chain Lub na corrente.
Em tantos quilômetros de estrada seria impossível que não tivessemos acontecimentos chatos no trânsito, mas nada pior do que uma fechada ou uma freada inesperada, sem maiores consequências.




1º dia de viagem

Dia 07/10/11 - 06:30 hs

Ponto de partida da nossa aventura
Estacionamento do Aeroporto Santos Dumont - Centro - RJ





Monumento à Santos Dumont 



Subida da Ponte Rio-Niterói





Descida da Ponte Rio-Niterói


Vista da orla pelo Centro de Niterói


No cantinho à direita o Forte de Gragoatá


Museu de Arte Contemporânea - Boa Viagem / Niterói


Atrás dos pedestres uma escultura de areia - Praia de Icaraí/ Niterói


Estação das Barcas - Charitas/Niterói


Estrada que leva à Fortaleza de Santa Cruz - Jurujuba / Niterói

Essa estrada só tem largura suficiente para que passe um veículo por vez, mas é a única para entrada e saída da Fortaleza de Santa Cruz, então tanto no ínicio da estrada com no fim, junto à Fortaleza, existe um esquema de semáforos e soldados do exército com a ajuda de rádios fazem a inversão do fluxo de veículos.
Por incrível que pareça não reparamos no semáforo e fomos abordados pelos militares que avisaram sobre o nosso  avanço de semáforo, que no momento estava fechado para nós.







Os soldados da guarita no início da estrada haviam liberado nossa passagem para chegarmos só até a entrada da Fortaleza, pois ainda era muito cedo e a visitação à Fortaleza só começaria mais tarde, mas quando chegamos lá só tivemos tempo de tirar algumas fotos e fomos convidados a nos retirarmos do local, pois estava acontecendo uma formatura na qual não era permitida a presença de civis.



Praia de Piratininga / Niterói



Seguindo para Itaipú/Niterói, a fim de atravessarmos a estrada da Serra da Tiririca e sairmos na Praia do Recanto - Itaipuaçu/Maricá.


Subida da Estrada da Serra da Tiririca

Estradinha perigosa essa, muito íngrime e com uma curvinha especialmente sinistra, sendo necessário freio dianteiro, traseiro e motor rsrsrsrs



Praia do Recanto - Itaipuaçú / Maricá

Ao fundo a Pedra do Elefante







Rodovia RJ-106 (Rodovia Amaral Peixoto), rumo ao centro de Maricá

Aqui aconteceu um fato que acabou atrapalhando nossa passagem pela orla de Maricá, Ponta Negra e Jaconé.
Logo depois dessa curva existe um radar de 80 km/h e quando diminui vi o Pallas pelo retrovisor, então passei pelo radar e acelerei, mas coisa de uns 10 Km depois diminui e nada de ver o Pallas e mesmo depois de 5 minutos nada, então voltei os 10 km na contra-mão, pelo acostamento e não achei o Pallas, daí decidi seguir até um posto mais próximo do Centro de Maricá, onde o celular tocou e era o Pallas avisando que havia tomado uma fechada e no rolo acabamos desencontrando, sendo que ele já estava no Km 32 da RJ-106 e eu ainda no Km 22.
O problema era que estando no Km 32 o Pallas já havia passado das duas entradas da Cidade de Maricá, então quando encontrei com ele achamos melhor não voltarmos e continuarmos viagem dali mesmo, sem passar pelo litoral de Maricá.
Essa minha volta na contramão, no final da viagem resultou em uma diferença no odômetro da minha moto para a do Pallas em aproximadamente 20 km.


Portal da cidade de Maricá (1ª entrada da cidade)


Subida da Serra do Mato Grosso / Saquarema



Distrito de Sampaio Corrêa / Saquarema



Araruama

A partir daqui saímos da RJ-106 e seguimos para a Praia Seca, a fim de alcançarmos a RJ-102 e continuarmos viagem pelo litoral até Arraial do Cabo.


Lagoa da Praia Seca / Araruama
 






Arraial do Cabo



Cabo Frio


Praia do Forte / Cabo Frio



Aproveitamos que estavamos em Cabo Frio na hora do almoço e ligamos para o nosso amigo Flancelotti que trabalha na cidade para que encontrasse conosco para almoçarmos.


Canal do Portinho / Cabo Frio



Armação dos Búzios






Barra de São João / Casimiro de Abreu






Rio das Ostras




Praia da Costa Azul / Rio das Ostras


Essa é literalmente a praia do Pallas



Macaé









Até Macaé haviamos feito muitas paradas, então já estava no final da tarde e mais para frente o tempo parecia bem nublado, portanto achamos por bem desistirmos de passarmos pelos municípios de Carapebus e Quissamã, seguindo direto para o Centro de Campos dos Goytacazes pela BR-101.


 





Ao anoitecer chegamos no Centro de Campos dos Goytacazes e como haviamos combinado de não continuar nas estradas durante à noite, então fomos procurar algum hotel ou pousada para dormirmos, mas a cidade de Campos, de todas as que passamos durante nossa viagem, foi a que mais decepcionou, tanto pela falta de informações nas placas, falta de opções de hotéis na entrada da cidade, trânsito com muito engarrafamento e falta de opções de points legais, isso tudo no centro da cidade.
Em nossa procura por hospedagem acabamos nos afastando muito do centro e  indagando com moradores fomos informados que só no centro achariamos hotéis, então voltamos e pedimos ajuda a um companheiro de moto, que na maior boa vontade nos guiou até o Hotel Verona, na Rua Barão de Amazonas, com aparência até que legalzinha, mas depois fomos descobrir que durante a noite aquela rua sofria uma certa transformação, só que já era tarde demais e não tinhamos outras opções kkkkkkkkkkkkkkk
Lembro bem quando o Pallas entrou em um bar na esquina dessa rua para comprar cigarros... Diz aí Fernanda !!!!!  kkkkkkkkkkkkkkk

Em Campos dos Goytacazes encerramos nosso primeiro dia de viagem, às 18:30 hs, com 400,3 km percorridos em 12 horas de viagem.


Esse Outdoor talvez fosse um aviso...


2º dia de viagem

Dia 08/10/11 - 07:30 hs

Saímos de Campos dos Goytacazes em direção à São João da Barra, a fim de conhecermos a Praia de Atafona.



Praia de Atafona / São João da Barra

Por reportagens sabiamos que as construções da orla de Atafona estavam sendo tomadas pelo mar e isso nos deixou ansiosos por conhecer a localidade.








Como São João da Barra é uma "ponta" a partir de Campos dos Goytacazes, então tivemos que voltar até Campos e decidimos por não seguir até São Francisco de Itabapoana, pois também é uma cidade com uma única estrada de entrada e saída, no que gastariamos muito tempo.








E continuamos nossa viagem rumo ao Município de Cardoso Moreira






Nessa nossa aventura passamos por estradas maravilhosas, com curvas perfeitas e retas que pareciam infinitas.



Cardoso Moreira


Italva





Itaperuna


Em pleno dia de sábado e as estradas totalmente desertas, o que fazia nos sentirmos os donos das estradas.


Já haviamos deixado de passar por São Francisco de Itabapoana, mas não deixariamos de passar por Bom Jesus de Itabapoana, pois a partir dessa cidade é que começariamos nos limites com o Estado do Espírito Santo.



São José do Calçado / ES

Acabamos invadindo um pouquinho o Estado do Espírito Santo e passamos pelas cidades de São José do Calçado e Guaçuí.








Varre - Sai



Até o Município de Varre-Sai as estradas estavam excelentes, mas a partir daqui até Natividade e depois até Porciúncula as estradas estavam péssimas, inclusive pela primeira vez presenciamos um acidente em que um carro saiu da estrada em uma curva, caindo em um córrego, mas não paramos para ver.


Natividade











Porciúncula




De Porciúncula descemos novamente até Natividade e passamos por Itaperuna para chegarmos até Laje do Muriaé e de lá para Miracema.





Santo Antônio de Pádua



De Santo Antônio de Pádua seguimos para Aperibé, Itaocara e depois Cantagalo.












Em Itaocara pegamos o único trecho de estrada de terra em toda nossa viagem, mas foi curto.












Aqui já estavamos em Carmo e nossa próxima cidade seria Sapucaia, onde fariamos o pernoite.
A chegada em Sapucaia não teve fotos, mas assim que entramos na cidade achamos um placa indicando o Hotel Ki-Sono e como era na própria estrada na qual estavamos, decidimos ficar por ali mesmo, o que foi um ótima escolha, pois o Hotel tem um nível muito bom, deixando por desejar apenas no café da manhã que é servido na padaria em frente ao Hotel e por estar localizado em plena Rodovia Rio-Bahia, com carretas passando em frente ao Hotel o tempo todo.

Em Sapucaia encerramos nosso segundo dia de viagem, às 19:30 hs, com 596,9 km percorridos em 12 horas de viagem.



3º dia de viagem

Dia 09/10/11 - 06:50 hs

Após o café da manhã saímos de Sapucaia procurando pela cidade de Comendador Levy Gasparian, mas não achavamos quem pudesse nos indicar o caminho a seguir, pois ninguém conhecia essa cidade, o que passamos a achar muito estranho, então seguimos para Três Rios, pois sabiamos que era a cidade mais próxima de Comendador Levy Gasparian.


Sapucaia




Após sairmos do Centro de Sapucaia tivemos a grata surpresa de descobrirmos que um grande trecho da BR-393 Rio-Bahia foi reconstruído.
Nessas próximas fotos reparem que em algumas aparece uma estrada mais abaixo, que era a antiga Rio-Bahia.





Com a estrada ainda em obras tivemos que parar em certo trecho e aproveitamos para pedir ao pessoal da obra para que tirassem uma foto nossa.


E lá vamos nós em busca da desconhecida Cidade de Comendador Levy Gasparian.



Enfim achamos uma placa indicando a Cidade de Comendador Levy Gasparian.




O interessante é que após a grande dificuldade de encontrarmos a cidade de Comendador Levy Gasparian, acabamos não passando dentro da cidade, mas sim por cima dela, pois a BR-040 passa em um viaduto por cima da cidade.




Valeu cada parada para pedir informações sobre Comendador Levy Gasparian, pois o visual daqui para frente é fantástico.
Incrível que em pleno Estado do Rio de Janeiro existam locais tão lindos e que ainda tenham potencial turístico tão pouco explorados.
Mesmo sendo apoixonado pelos visuais das estradas de litoral fiquei boquiaberto com a beleza do lugar.






Aqui podemos dizer que começou uma nova aventura, pois o visual e a estrada eram fantásticos. fora que você desbravar uma estrada e localidades que nem faz idéia de como sejam é algo fantástico.

Hidroelétrica de Mont Serrat em Comendador Levy Gasparian





Você passar bem rente a esse "morrão" é algo indiscritível, com vontade de fazer uma escalada no paredão imenso que me fez entortar o pescoço.



Mont Serrat / Comendador Levy Gasparian


Dizem que esse é o único Museu Rodoviáro do país.



Esse visual é simplesmente fantástico e apesar da bela foto, não tem como passar a emoção de estar pessoalmente nesse local tão lindo.
Em alguma ocasião futura pretendo fazer um passeio até esse local e adentrar um pouco mais no estado de Minas Gerais a partir da divisa com Comendador Levy Gasparian, mesmo sabendo que terei um grande trecho de estrada de chão a desbravar.





Após essas placas e atravessando a linha do trem já é o Município de Simão Pereira no Estado de Minas Gerais.


Por diversas vezes já estive de moto no Estado de Minas Gerais, mas dessa vez senti uma emoção incrível ao ver essa placa da divisa dos estados, a linha do trem, a estradinha excelente com sua bela mureta branca beirando o Rio Paraibuna e uma espécie de galpão bem antigo, que me fez retroagir em pensamentos à tudo aquilo que eu aprendi sobre a época do Brasil-Império.


Essa foto ficou marcada para mim, pois a construção abandonada é algo fantástico e para ficar sensacional só faltou termos acesso ao interior da construção, mas as portas estam fechada, sabe-se lá a quanto tempo...
Para completar a emoção só faltou passar uma Maria Fumaça.




Depois fui descobrir que essa é a famosa Estrada Real.
Agora imagina se esse casarão também tem 300 anos...
Quanta história não deve ter em cada pedacinho de suas paredes.
De todos os lugares em que já passei até hoje esse marcou demais.


Mas precisamos continuar viagem até Angra dos Reis e ainda falta muita estrada até lá, então o negócio é nos despedirmos da tão querida Minas Gerais e voltarmos ao nosso tão lindo Rio de Janeiro.




Praça de Mont Serrat


Agora é seguir rumo ao Município de Paraíba do Sul e depois Rio das Flores em uma estrada muito agradável.






Rio das Flores, assim como quase todos os locais em que paravamos, foi adesivada pelo Pallas com o escudo dos Audazes.




Saindo de Rio das Flores uma passadinha rápida por Valença para depois seguirmos para Barra do Piraí.









De Barra do Piraí seguimos para Volta Redonda, cidade na qual eu considero que é realizado o 2º melhor Encontro de Motociclistas do Estado do Rio de Janeiro.



Eu desconhecia esse tobo-água, mas a adrenalina em descer daquela altura já me fez guardar no bloco de anotações para uma aventura radical qualquer dia desses, apesar de que os valores da diária nos apartamentos desse Resort é coisa de marajá.
Acho que vou esperar completar 60 anos, assim vou usufruir dos meus direitos de 3ª idade e pedir desconto  kkkkkkkkkk

Single: R$ 336,00
Duplo: R$ 474,00
Triplo: R$ 665,00
Cama Extra: R$ 222,00
Crianças de 7 à 12 anos: R$ 111,00









Enfim saímos de Volta Redonda e entrariamos na Rodovia Presidente Dutra sentido Barra Mansa e depois Porto Real.


Resende chegando e depois Itatiaia, então o Pallas decidiu pagar pedágio para invadirmos o Estado de São Paulo e fomos quase até Queluz.













Esse fogaréu era nos morros que margeiam a Dutra, isso em SP e era só um pedacinho de tanto morro que queimava.
Mato e mais mato pegando fogo, uma coisa impressionante.



Aqui já haviamos pego um retorno para novamente ter o prazer de pagar mais um pedágio na Dutra e voltarmos ao RJ.




De volta à Barra Mansa pegariamos a RJ-155, passando por Rio Claro, para sairmos na BR-101 em Angra dos Reis.






O visual dessas curvas eram muito show e não tinha como resistir a uma entrada um pouquinho mais radical.




A noite estava chegando e com ela as nuvens trazendo uns chuviscos, então era torcer para não pegarmos chuva até o nosso destino em Angra dos Reis.




Aqui uma parada na Serra D'Água e gostei muito do lugar, tanto que já combinei com o Pallas de voltarmos em breve.






Aqui já estavamos na BR-101 em Angra dos Reis e de primeira mão vai um aviso para aqueles que adoram acelerar no trecho de Angra até Paraty:
- A Rodovia está cheia de postes de ferro que com certeza receberão radares, então em muito breve teremos que prestar bastante atenção ao passarmos por aqui.




Angra dos Reis


Usina Nuclear Angra 1


Rumo à Paraty e teriamos uma surpresa.


Descobrimos que um grande trecho de estrada estava sendo refeito, então a BR-101 virou uma estrada de chão, ainda por cima, na volta estava meio elameada  devido a chuva, com isso a moto sambava um pouco, sendo necessário ter muita cautela.



Por incrível que pareça essa é a BR-101 em Paraty




Finalmente chegamos em Paraty e agora seria retornarmos até Angra dos Reis para o nosso pernoite na casa do Pallas, mas antes fizemos uma boquinha em Paraty.



Essa foi a última foto desse 3º dia de viagem, pois começou a chover e guardamos a câmera digital.
Chegamos na casa do Pallas em Angra dos Reis às 18:49 hs, com 647,5 km percorridos em 12 horas de viagem.



4º Dia de Viagem
10/10/11 - 08:30 hs

Já que esse era o último dia de viagem e o que tinha o trecho mais curto, então decidimos acordar um pouco mais tarde, mesmo porque estavamos contando de passarmos da Barra da Tijuca em diante após às 10:00 hs, para não enfrentarmos engarrafamentos.


Angra dos Reis



A ilha maior ao fundo é a Ilha Grande



Aqui uma homenagem ao eterno amigo Cuca








De Angra dos Reis saímos para pegar a BR-101 rumo à Mangaratiba, onde pretendiamos entrar na cidade e procurar pela Rodovia RJ-014, que segue junto ao litoral.





Mangaratiba




Aqui já estavamos na RJ-014, ainda em Mangaratiba, só que pouco tempo depois ela novamente leva à BR-101 e só vamos conseguir voltar à essa rodovia em Muriqui, ainda um distrito de Mangaratiba.



Aqui novamente rodando pela BR-101, por sinal quase paramos para visitar o nosso amigo Gegê no condomínio do outro lado da linha do trem.






Aqui saímos da BR-101 para novamente seguir pelo litoral através da RJ-014 até Itacuruçá, outro distrito de Mangaratiba.



Itacuruça








E lá vamos nós em direção à Itaguaí, última cidade antes de entrarmos na Cidade do Rio de Janeiro.





Santa Cruz é um bairro da Cidade do Rio de Janeiro e daqui pra frente será só o lindo litoral da Cidade Maravilhosa.





Pedra de Guaratiba


A obra do Corredor Viário Transoeste, já para às olimpíadas de 2016.


A Estrada Burle Marx tem uma serrinha sinistra que sai lá em Grumari, mas vale a pena passar por ela, pois os visuais são maneiríssimos.





Praia de Grumari








Ao fundo a Prainha







Praia do Pontal


Praia do Recreio dos Bandeirantes


Aqui já é a Barra da Tijuca, mas faltaram umas fotinhas da praia




Avenida Niemeyer


Praia de São Conrado


Gávea



Mirante do Leblon


 










Praia de Ipanema




Praia de Copacabana



Hotel Copacabana Palace


Praia do Leme


Fomos até o final da Praia do Leme e depois seguimos para a Urca



Urca

Estação do Bondinho do Pão de Açúcar





Urca





Praia de Botafogo




Aterro do Flamengo



Chegando ao Centro do Rio e ao Aeroporto, com isso o final de nossa aventura.





Final de nossa aventura e os odômetros de nossas motos apresentavam uma diferença de uns 20 km, resultado do nosso desencontro em Maricá, quando tive que retornar uns 10 km pelo acostamento, na contra-mão, procurando o Pallas, então não achei e voltei novamente os 10 km, resultando nessa diferença dos 20 km.





Viagem concluída e com certeza tivemos a companhia do nosso eterno amigo Cuca nos acompanhando em todo o percurso.
Nesse último dia de viagem rodamos 219,1 km e encerramos a viagem às 15:00 hs, com 6h30min de viagem.

8 comentários:

  1. Excelente "viagem"!
    Confirma que não é necessário grandes distâncias pra grandes aventuras... tanta coisa pra fazer tão perto de casa.
    Parabéns!
    Abraços,

    ResponderExcluir
  2. Olá, amigo.
    Excelente passeio... parabéns.

    Gostaria de saber onde comprou esse suporte para bauletos laterais.

    Muito obrigado!
    Alberto
    albertofilho@gmail.com

    ResponderExcluir
  3. Vocês estão de parabéns, fizeram a viagem que eu sempre quis, e ainda, conheceram lugares inesquecíveis que nosso mundão nos proporciona.
    Eu tb tenho uma Fazer 07/08 e ainda estou elaborando uma viagem razoável (talvez pra Minas Gerais) e vcs me ajudaram muito com as suas experiências.
    Eu não pertenço a nenhum motoclube ou grupo e acho bacana essa filosofia de vida.
    Eu gostaria muito que vcs me dessem uma outra informação, pois pretendo comprar um spoiler e esse da Fazer de modelo mais antigo me atraiu, portanto se vcs puderem me dar a dica de onde comprar um desse modelo eu seria muito agradecido.
    Espero um dia ter essa coragem que vcs tiveram, para desbravar muitos lugares bacanas tb.
    Se quiserem manter um contato comigo podem me adicionar no msn: marserro@hotmail.com ou facebook: http://www.facebook.com/#!/profile.php?id=100000235945138

    Marcelo Santos

    ResponderExcluir
  4. Adorei a viagem de vocês. Quem ficou com vontade de fazer o mesmo fui eu adorei as fotos e o roteiro, que me ajudará concerteza a escolher uma ou várias dessas cidades para visitar. Parabéns !!!!

    ResponderExcluir
  5. Bela vagem, belo relatório.
    Pequeno senão, onde está escrito "bondinho do Corcovado", leia-se "bondinho do Pão de Açúcar" , via morro "Cara de Cão"

    ResponderExcluir
  6. Valeu aí pela força galera.

    Júlio Lima,
    O meu pensamento em relação às viagens de moto que faço é pensando justamente no que você escreveu "Não é necessário grandes distâncias para grandes aventuras."
    Sempre que alguém fala sobre viajar de moto para fora do Brasil eu digo que só farei isso depois de ter viajado muito pelo nosso país. E olha que ainda tenho uma relação imensa de lugares que pretendo conhecer aqui no Brasil.


    Alberto,
    A Fazer com bauletos laterais é a do Pallas e já lhe envie mensagem com o e-mail dele para contato.


    Marcelo Santos,
    Posso lhe dizer que se escolher o estado de Minas Gerais para fazer sua viagem vai ser show, pois já fiz algumas viagens por lá e sempre tenho vontade de voltar.
    As estradas em geral são maravilhosas, com asfalto muito bom, pouquíssimos radares e quebra-molas, polícia na estrada fazendo blitz é raríssimo e as cidades são cativantes, então vai de MG que vale muito a pena.
    Sobre não participar de motoclube, também não participo de nenhum, apesar de já ter recebido alguns convites, mas não participo pelo simples fato de já ter muitos compromissos no meu dia a dia e não teria como incluir mais um com motoclube, mas posso dizer que tenho muitos amigos de motoclubes e inclusive adoro participar dos encontros realizados pelos diversos motoclubes aqui do RJ.
    Quanto ao spoiler, se você observar bem, vai notar que o paralama dianteiro e traseiro também são personalizados e junto com o spoiler completam um kit, mas as peças também são vendidas separadamente.
    É unanimidade entre a galera que esse spolier é o mais bonito para a Fazer e quem faz é o Jeffy, muito conhecido no fazeronline.com.
    O contato com ele é tajeffy@hotmail.com.


    Marcus Vinícius,
    A idéia do Blog Estrada e Liberdade é justamente passar para os amigos apaixonados pelas viagens de moto os locais tão bacanas que podemos conhecer, principalmente sem ter muita despesa rsrs


    Anônimo,
    Valeu aí por ter mostrado o escorregão rsrsrs

    ResponderExcluir
  7. Amigos Pallas, Fernanda e Jucabala, parabéns pela viagem e tenham certeza que muita gente ficou com água na boca, inclusive eu.
    Mauro - Tigres de Aço

    ResponderExcluir
  8. Olá. Foi com imenso prazer que curti esta viagem de você e espero em breve poder fazer uma também. Excelente matéria e é bom saber que há muito para se descobrir em nosso estado.
    Parabéns e não deixem de nos brindar com outros caminhos que certamente virão.

    ResponderExcluir